Cientistas Preveem Apagão Solar Ainda Para Este Século


Um grupo de cientistas supõe que, ainda na primeira metade do século atual, a atividade solar será mínima. O que fará com que menos calor chegue a Terra. Tal conclusão está contida na publicação do The Astrophysical Journal.

Os cientistas do Instituto Scripps de Oceanografia da Universidade da Califórnia em San Diego, Estados Unidos, analisaram dados recolhidos nos últimos 20 anos pelo Explorador Internacional de Luz Ultravioleta (IUE, na sigla em inglês) — um telescópio espacial orbital que opera na área desse tipo de raio.

Ao medir a radiação emitida pelas estrelas do tipo solar, eles revelaram as condições que precedem as grandes temperaturas mínimas.Como resultado da investigação, eles descobriram que a diminuição da atividade solar pode começar quando manchas solares aparecerem com frequência no céu.
De acordo com especialistas, a possibilidade de a Terra enfrentar uma temperatura muito baixa num futuro próximo, é bastante alta. Não obstante, este resfriamento global não será suficientemente forte para compensar o aumento da temperatura média do planeta causado pelo aquecimento global. Assim, o calor que a Terra recebe do Sol diminuirá, mas isso não impedirá o aquecimento global, revelam os pesquisadores.

O resfriamento seria o que os cientistas chamam de um grande mínimo, que é um período em que o magnetismo do Sol diminui, manchas solares são formadas e menos radiação ultravioleta atinge a superfície terrestre.

Os astrônomos consideram que é possível repetir o mínimo de Maunder, que ocorreu no período entre os anos de 1645 e 1715 e que foi caracterizado pelo aparecimento de um pequeno número de manchas solares no céu. 

Fonte: Jornal do Brasil – Sputnik 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas do Cidadão alteram critérios de atendimento em Sorocaba

Você sabe a diferença entre pandemia, epidemia e endemia? Pandemia