Profissionais buscam o inglês para a Copa

Duas seleções ficarão concentradas em Itu (Japão e Rússia), uma em Sorocaba (Argélia) e uma em Porto Feliz (Honduras)



Marcelo Romamarcelo.roma@jcruzeiro com.br

Profissionais de diversos setores estão aprendendo ou aprimorando o inglês com expectativa de crescimento na carreira e para atender melhor os estrangeiros, que deverão vir em maior número para a região devido à Copa do Mundo. Duas seleções ficarão concentradas em Itu (Japão e Rússia), uma em Sorocaba (Argélia) e uma em Porto Feliz (Honduras). Hotéis, empresas de táxi, restaurantes e o comércio em geral se preparam para o evento internacional, que deve dinamizar a economia regional.

É esperada a presença maciça de equipes de apoio e de imprensa (que vão acompanhar as seleções), além de turistas. Hotéis de Sorocaba e Itu já têm reservas para o período da Copa. O recepcionista do Sorocaba Park Hotel, José Ventura Júnior, começou no ano passado a fazer um curso de inglês. Ele quer melhorar a fluência do idioma a fim de poder atender os hóspedes sem nenhum problema de comunicação. O hotel ajuda no custo do curso de inglês. Ventura explica que não há nenhum problema quanto às perguntas básicas, do dia a dia, mas quer estar preparado para diálogos sobre assuntos mais específicos.

O recepcionista continua estudando inglês para se aperfeiçoar. Colegas dele, que trabalham em outros setores do hotel, também se dedicam a aprender o idioma, como camareiras e outros funcionários. Ventura diz que, independente da Copa, a boa fluência no inglês é importante para atender os hóspedes, pois muitos deles são estrangeiros e costumam vir para Sorocaba a negócios.


Escola de idiomas


De acordo com o sócio-diretor da escola de idiomas Yázigi, no Parque Campolim, Glauco Porto, este ano houve aumento do interesse pelo inglês. Entre os alunos estão profissionais e empresários de setores variados, muitos deles com foco na Copa do Mundo. Atualmente se destaca o perfil do profissional que tem necessidade de aprender o idioma o mais rápido possível, explica Porto. Por conta dessa procura, a escola promove desde o início do ano um curso básico de 25 horas, em que o aluno pode fazer em duas semanas ou dois meses, dependendo da disponibilidade.

No curso, são ensinadas as expressões mais comumente usadas e que servem para profissionais do comércio, hotelaria e turismo. "O público-alvo são profissionais que pretendem saber o básico do inglês até a Copa", diz Porto. Segundo ele, com o curso, é possível diálogos simples, anotar pedidos num restaurante e dar informações como localização de pontos turísticos, bancos, rodovias e shoppings centeres.

O sócio-diretor da escola de idiomas considera que o inglês já é falado em hotéis e principais restaurantes da cidade, mas ainda há pouca difusão no comércio, incluindo as lojas dos shoppings. Ele acredita que com o destaque do Brasil no cenário internacional, sediando a Copa em 2014 e as Olimpíadas em 2016, a necessidade de se falar inglês irá aumentar significativamente.


Taxista e empresária


O taxista Marcel Souza trabalha em Sorocaba e morou quatro anos e meio na Inglaterra. Apesar de entender bem o idioma, ele continua estudando para se aprofundar. De acordo com ele, é fundamental na sua profissão. Souza atende muitos estrangeiros, entre aeroportos, hotéis e empresas, e acredita que o diferencial aumenta seu rendimento em relação a um taxista que só domina o português, sem contar as gorjetas.

Souza afirma que com Copa ou não, Sorocaba recebe um fluxo de estrangeiros, principalmente executivos, engenheiros, consultores e outros profissionais ligados a empresas multinacionais. "Há muitos alemães", diz ele. O taxista calcula que numa média de 25 passageiros que transporta por dia, 3 ou 4 são estrangeiros.

A empresária Márcia Mendes de Moraes, que tem uma empresa de alimentação em Sorocaba que serve empresas e escolas, vê como necessário para os negócios o domínio do inglês. A empresa fornece para multinacionais e ela conversa frequentemente com chineses e pessoas de outras nacionalidades.


Itu


Itu, que vai receber duas seleções, também se prepara para a Copa. O turismólogo Fábio Luís Grizoto, que trabalha na Secretaria Municipal de Turismo, Lazer e Eventos, informa que guardas civis municipais e funcionários da secretaria passaram por curso básico. Segundo ele, a iniciativa privada também está fazendo sua parte, preparando seus funcionários em relação ao idioma e padrões de atendimento. A Prefeitura de Itu, em parceria com o Sebrae, lançou um programa de qualidade voltado aos restaurantes, segundo Grizoto

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas do Cidadão alteram critérios de atendimento em Sorocaba

Você sabe a diferença entre pandemia, epidemia e endemia? Pandemia